Revista OSMOZ

O amor e a sedução, pimentas inevitáveis da perfumaria

24 october 2013

Na antiguidade, o perfume era antes de tudo espiritual, visto que sua origem se encontra nas cerimônias religiosas, quer se tratasse de fazer oferendas aos deuses ou de embalsamar mortos. Hoje frequentemente percebido como “arma de sedução”, o perfume, como um filtro de amor, torna-se o rastro que atrai, deslumbra, é a marca que fará de nós um homem ou uma mulher inesquecíveis na memória dos outros. Seduzir, cativar, esta certamente não é a única razão para se perfumar, visto que também gostamos de cheirar bem por nós mesmos, por exemplo. Mas o perfume que enfeitiça e fascina o outro, vetor de amor e felicidade, é entretanto uma imagem amplamente adotada pelas grifes.

Inúmeras são as maisons que retiram diretamente da linguagem do amor um nome cativantepara atribuir à sua nova fragrância, como por exemplo,Amour de Kenzo. Um perfume com uma película envolvente e viciante como pode ser o sentimento amoroso, que se inspira nas oferendas balinesas, reproduzindo o odor solar da flor do frangipani, emblemática de Bali, em um fundo muito amendoado, abaunilhado, amadeirado e almiscarado, de uma doçura extrema. Amor Amor de Cacharel nos fala também de amor com suas notas frutadas, levemente florais e muito abaunilhadas no fundo: um oriental fresco, gourmand e malicioso como se deseja.

Parlez Moi d’Amourde John Galliano, Loverdose de Diesel, ou ainda Love, Chloe: tantos perfumes em que a noção de amor está francamente destacada. Mais recentemente foi a vez de Lolita Lempicka inspirar-se neste tema em seu último lançamento.  Seu Elle l’Aime, jogo de palavras com L. Lempicka, quer ser uma ode à felicidade, ao brilho de uma mulher amorosa e radiosa, iluminada por uma flor de coco imaginária, inseridaem um buquê de flores brancas. Aqui são os eflúvios exóticos e solares de praia e de férias que interpretam esta visão do amor. O registro romântico atinge também a perfumaria confidencial, como Annick Goutal e seus Quel Amour, Grand Amour e Passion, condicionados pelos buquês florais a revelar uma feminilidade atemporal.

Às vezes expresso de modo mais indireto, o amor desliza sutilmente seus eflúvios em nossas fragrâncias: em Guerlain por exemplo, a riqueza das notas verdes, florais e abaunilhadas de Chamade evocam os batimentos de um coração apaixonado, enquanto Idylle nos fala de flerte, de ternura e de amor nascente, em um fundo de rosa delicadamente chipre e almiscarado. O amor é primeiro a história da atração que se sente pelo outro, como nos sugeria Attraction de Lancôme (hoje descontinuado), mas são também palavras, gestos e frases que o exprimem com elegância, graças às notas apimentadas e amadeiradas de Déclaration de Cartier. Finalmente, às vezes o perfume pede emprestado aos grandes clássicos da literatura (Musset, George Sand) e às indispensáveis histórias em quadrinhos (Hugo Pratt) as mais belas histórias de amor, como contam as notas sensuais, balsâmicas e atalcadas de Bijou Romantique, de Etat Libre d’Orange.

O amor não está sempre explícitamente no coração do conceito que identifica uma fragrância, mas é insinuado como filigranas, à semelhança destas publicidades que sublimam a sedução. Nos anos 80, decênio em que os perfumes eram poderosos, como um eco aos blazers de ombreiras que as mulheres usavam, várias grifes uniram a ideia do perfume ao do encantamento e enfeitiçamento, como um sortilégio a ser lançado para prender os homens em suas redes. Perfume mítico desta época, Poison de Dior, com seu rastro incomparável, quer ser o perfume de uma “mulher fatal” com uma sedução perturbadora e audaciosa. Possuidor de um nome que evoca uma substância venenosa, Poison é um filtro ao mesmo tempo mágico e diabólico usado para atrair e cativar, com a ajuda de eflúvios frutados (ameixa), florais ( a carnal tuberosa), picantes e ambarados. Alguns anos mais tarde, Hypnotic Poison, promovidopor Monica Belluci, fascinará igualmente, com seu rastro magnético e inebriante, acentuado por flores brancas, amêndoas amargas e baunilha, transformando-se em um dos best-sellers da época.

Na mesma linha misteriosa de Poison, Magie Noire de Lancôme marcará os anos 80 com suas notas poderosas e orientais.

Sempre uma sedução, o amor continua sendo perigoso e transgressor no decorrer dos anos 90. Lolita Lempicka faz de seu Premier Parfum um hino ao pecado original, com seu frasco em forma de maçã: sucumbir a esta fragrância gourmand com notas de alcaçuz e violeta, é experimentar o proibido, como Adão e Eva no Jardim do Éden. Por sua vez, Givenchy fará do amor uma tentação, como a musa de seu perfume Very Irresistible no começo dos anos 2000, uma Liv Tyler a quem não se pode resistir. Entre os homens, nestes últimos anos, a sedução se adorna também de intensidade, com um Vincent Cassel tenebroso e devastador, com Nuit de l’Homme, Yves Saint-Laurent.

Com o lançamento do primeiro perfume da marca de lingerie Aubade, e suas famosas “lições”, não há nenhuma dúvida de que o perfume e o amor são mais do que nunca valorizados através da ideia de sedução.

Finalmente, às vezes, para nos falar de amor,as maisons de perfumes vão procurar em seu patrimônio, à semelhança de Guerlain que revisita as origens da criação de seu perfume emblemático, Shalimar, inspirado na história de amor do Imperador Shäh Jahän por sua falecida esposa Mumtaz Mahal. Enlouquecido pela tristeza ele fez construir em sua homenagem o Taj Mahal, uma tumba às margens das cascatas dos Jardins de Shalimar. Por que Shalimar é antes de tudo um hino ao desejo, e fazer reviver em tela inteira as circunstâncias românticas que levaram sua gênese é uma maneira de nos fazer continuar a sonhar através do amor.

Sophie Normand

Sophie Normand

Descubra seu perfil

Apaixonada por perfumes desde a adolescência, fui no entanto estudar direito e depois jornalismo. Foi quando eu era redatora que tive a ideia, há mais ou menos 3 anos, de um blog sobre perfumes. Em paralelo, compartilho minha paixão através de outros suportes (OSMOZ, l’olfathèque,...

  • 12 september 2014

    Las fragancias tienen que ver con la personalidad, el momento y la intención! La percepción fugaz de una fragancia nos hace evocar momentos, situaciones y personas. Nos despiertan, nos seducen, nos invitan! Hay una especie de lenguaje olfativo a través de esas notas que sin duda estimulan sensaciones, emociones, experiencias!

    Reportar abuso
  • 07 november 2013

    Es espectacular esta pagina porque me he informado muy bien acerca de las mejores marcas de perfumes del mundo, en realidad los frascos de los perfumes son muy innovadores, y cuentan con una publicidad excelente que inspira a sus lectores a querer comprar los perfumes. Excelente!!!

    Reportar abuso
  • 05 november 2013

    Je mélangerais plutôt le parfum et le désir que le parfum et l'amour. Ou alors, c'est lorsqu'on aime quelqu'un que son parfum nous fait de l'effet et provoque des sentiments. Le parfum peut soit attirer quelqu'un qui passe, soit servir de signature lorsqu'on est absent pour quelqu'un qui nous connait bien...

    Reportar abuso
  • 05 november 2013

    los perfumes cautivan desde su forma de presentación, es el primer llamado de atención que te hace querer probarlo y luego te termina cautivando su aroma hasta quedar completamente cautivado

    Reportar abuso
Você quiser ler mais comentários ? Veja mais
    Você quiser ler mais comentários ? Veja mais